Mesa Redonda: Psicóloga(o) na Saúde Suplementar


Resumo da fala do SinPsi-SC: Diretora Vânia Maria Machado


O objetivo desta fala é abordar os aspectos jurídicos e trabalhistas envolvidos na atuação das(os) profissionais da psicologia junto as operadoras de planos de saúde. A pesquisa desenvolvida pelo Grupo de Trabalho Interinstitucional sobre Saúde Suplementar (GTSS) com psicólogas(os), identificou o baixa remuneração pagos aos procedimentos prestados pela psicologia; a demora no pagamento dos valores; a falta de autonomia em relação ao agendamento de consultas; o limite de número de sessões liberadas; o excesso de burocracias, entre outros aspectos. Sabe-se também que a maioria das operadoras em Santa Catarina exigem a constituição de pessoa jurídica para o estabelecimento de contrato com prestadores da área da psicologia, o que tem produzido a terceirização da atuação de psicólogas(os) na Saúde Suplementar e, por consequência, precarizado as condições de trabalho e a possibilidade de o SinPsi-SC atuar na defesa da categoria. Nesta direção, retende-se refletir e orientar as(os) psicólogas(os) sobre estas e outras dimensões, tendo como suporte a resposta da Agência Nacional de Saúde ao Oficio encaminhado pelo GTSS, as legislações vigentes no campo da Saúde Suplementar e a análise de contratos firmados entre operadoras de planos de saúde e clínicas de psicologia.


26 visualizações